Finalmente inauguramos nossa editoria dedicada exclusivamente ao E-Sports universitário. E, para começar, confira tudo sobre o TUES (Torneio Universitário de E-Sports).

E-Sports nada mais é que o conjunto de jogos eletrônicos que comportam modalidades competitivas. Podendo ser jogados em consoles (como o FIFA 18 no Playstation) ou em PCs (como o Counter Strike: Global Offensive). Esta é a modalidade que mais tem crescido no mundo.

A premiação do último major de CS:GO (o equivalente ao “mundial” da modalidade) foi de um milhão de dólares e a última final do torneio brasileiro de League of Legends foi transmitido do Mineirinho para 2,6 milhões de telespectadores pelo Youtube, Twitch e até na TV à cabo pela SporTV2.

E-Sports na universidade

O cenário brasileiro universitário de E-Sports também tem crescido muito e, é claro, a BEAT não podia ficar de fora!  Desta forma, inauguramos nossa nova editoria, inteiramente dedicada ao E-Sports Universitário.

Nada melhor para começar, do que falar sobre o maior torneio de E-Sports universitário do Brasil: o TUES.

Criado em 2016, o Torneio Universitário de E-Sports teve, ainda em sua primeira edição, a participação de 40 atléticas. Atualmente, conta com 84 atléticas de diferentes 11 estados – mais um reflexo do recente crescimento dos esportes eletrônicos no país.

TUES: entrevista com um dos fundadores

Conversamos com Nicolas “Nicolino” Emerenciano, narrador, comentarista e um dos fundadores do torneio, para ele explicar um pouquinho melhor sobre o TUES e o cenário de E-Sports universitário:

tues
Nicolino em ação no TUES.

 

Revista BEAT: O que é o TUES e como a idéia dele surgiu?

Nicolino: O TUES é uma idéia que o Tomás (outro fundador do torneio) teve em 2016 de juntar jogos universitários com games. Se não me engano ele foi presidente por três anos da atlética de Limeira (AAAKI) e estava acostumado a organizar eventos de jogos universitários.

Naquela época, ele acompanhava o competitivo de CS (Counter Strike), mas jogava casualmente. Daí foi fazer um intercâmbio, ficou um ano fora e, quando voltou, veio conversar comigo pra ver a possibilidade de fazer um “jogos universitário que tivesse games”. Igual ao JUCA, Engenharíadas, mas se, ao invés de ter futebol, tivesse CS, LoL e tal.

Como eu jogava mais e conhecia mais de games, ele me convidou pra ser responsável pelo LoL. Convidou o Marcelo (outro criador) para ser responsável pelo CS. E um outro amigo para ser responsável pelo Hearthstone. Criamos um estatuto e começamos a divulgar. A idéia eram 16 times e, quando vimos, tinham 40 na primeira edição!

No fim, o Tomás, que era mais apaixonado pela parte de organização de eventos universitários, se juntou com as pessoas que eram mais apaixonadas por games. Foi a fusão que precisava pro TUES acontecer.

RB: Qual o tamanho da organização do TUES?

Nicolino: Somos em seis sócios e, além de nós, tem o Rodolfo, que cuida de arte, e o Guaco, que também ajuda em algumas coisas de arte, mas é mais um gerente geral. Sócios entre aspas porque aqui todo mundo trabalha! (risadas)

RB: Em sua visão, quais as principais diferenças e contribuições entre o cenário universitário e o profissional de E-Sports?

Nicolino: A maior diferença que eu vejo é no nível de jogo, pelo fato dos profissionais viverem disso, mas, assim, nós temos muitas organizações universitárias que fazem um trabalho absurdo comparável a uma organização profissional com media day, fotos, vídeos e divulgação.

Você acaba envolvendo pessoas que amam os games. As pessoas estão na faculdade e sabem que não vão ganhar dinheiro com isso, mas sabem também que é uma oportunidade. Tivemos diversos casos de pessoas que participaram do TUES e acabaram sendo contratados por organizações profissionais. Mostra que o cenário universitário nada mais é que um passo na “escada” para acabar sendo profissional.

TUES: panorama geral

tues
Torneio Universitário de E-Sports

No momento, o campeonato conta as modalidades de League of Legends (PC), Hearthstone (PC), Counter Strike: Global Offensive (PC), Fifa 2017 (PS4) e Clash Royale (Mobile).

Qualquer atlética ou organização de E-Sports universitária pode participar do torneio, que ocorre duas vezes por ano, uma em cada semestre. Seus jogadores devem ser alunos devidamente matriculados na instituição de ensino em questão, sejam alunos de graduação ou pós.

O torneio é composto por duas divisões de 16 times e uma fase classificatória pré-torneio. Os times com os melhores desempenhos na classificatória passam para a segunda divisão e têm a chance de lutarem por um lugar na divisão de elite da modalidade.

Todos as partidas são jogadas remotamente, até que se chegue nas grandes finais, que são jogadas presencialmente, em um evento no fim do semestre. Os jogos decisivos e todos jogos da primeira divisão são transmitidos no canal da twitch.

O calendário do torneio está sempre disponível no site oficial e na página do Facebook.