Connect with us

Especial

Bixos da ESPM: primeiro BEAT de Gabriel Miramontes

Especial #meuprimeirobeat Bixos da ESPM traz Gabriel Miramontes, contando como o esporte universitário ganhou seu respeito e fez ele se tornar um Diretor de Modalidade (DM).

Gabriel Cerqueiro A. Miramontes é aluno do curso de Administração da ESPM. Ele joga basquete pela universidade e é DM do time. Veja mais sobre o seu primeiro BEAT:

Revista BEAT: Como você foi recebido pela Atlética?

Miramontes: Logo quando entrei tive um pouco de receio em entrar em contato com o pessoal mais velho da faculdade. Dentre eles, o pessoal da Atlética. Mas os representantes vieram atrás de todos os bixos para conversar com os pais e falar sobre a entidade, sobre os campeonatos e tudo mais. Para resumir, fui muito bem recebido e hoje sou um diretor de modalidade e colaborador da mesma.

RB: Você chegou a pesquisar algo relacionado a esporte universitário antes da matrícula e de ter algum contato com a faculdade?

Miramontes: Sim. Porque eu já jogava basquete desde os 6 anos de idade. Depois de alguns anos, decidi que precisava parar e estudar. E foi só quando fiz 18 anos que comecei a ir atrás para saber como funcionava o esporte universitário.

Como eu já tinha em mente fazer Economia ou Administração, minhas escolhas eram ESPM, Insper e FGV. No meio disso tudo, o técnico da GV era meu amigo de clube no Círculo Militar.  Então, tendo amizade com ele, tive a oportunidade de treinar lá alguns dias. Foi assim que fiz amizades com que levo até hoje e fui com eles para o EPIC 2015, em Avaré.

RB: Qual foi sua primeira experiência em quadra? Você participou de algum campeonato de calouros?

Miramontes:  Minha primeira experiência jogando pela faculdade [ESPM] foi contra a Med Santo Amaro, dentro da quadra da Med USP. Não joguei muito porque vinha de um ano de cursinho e estava muito fora de forma, não aguentava correr e ainda teve cervejada no dia anterior. Achei o jogo bem menos físico do que na federação. O universitário tem menos correria e mais arremessos, o jogo é mais leve e parado.

Não tive a chance de jogar o Intercalouros. Isso porque no semestre em que entrei ele não aconteceu.

RB: Como você quer receber seus bixos? Por que esse momento é tão importante?

Miramontes: Quero transmitir a eles a sensação que tive quando fui recebido pelos meus veteranos. Pois, acho um momento importante por ser único na vida. Além disso, essa é a carta de entrada para motivação deles no esporte.

 

Leia mais:

Handebol Feminino da ESPM e seu ouro inédito no NDU
Promessas para um calouro praticar esporte na faculdade
10 coisas que só os calouros fazem

More in Especial