A volta das férias, passada a época de comemorações , é a hora de voltar ao ritmo normal de atividades físicas e renovar a saúde do corpo. Mas como fazer isso? A nutricionista esportiva Orion Araújo dá dicas preciosas.

 

Por Nutricionista Orion Araújo

Depois de comer tudo e beber todas no final do ano e ter passado todo esse período sem praticar exercícios, a volta das férias é um momento importante para se cuidar. Durante esse período “mais relaxado”, é comum o aumento da massa gorda. Ela é causada pela ausência de uma alimentação balanceada e de exercícios regulares, além do retardo do metabolismo.

Logo, o corpo sem músculo – seja magro ou gordo – vai apresentar flacidez e gordura localizada. Voltar a acelerar o metabolismo é a primeira etapa nesse pós-férias! O metabolismo tem relação direta com a boa forma a partir do momento que, quando lento, faz com que o organismo queime menos energia.

Acelerar o metabolismo significa fazer com que o corpo use mais energia para realizar os trabalhos diários… E isso é feito, principalmente, por meio da alimentação e das atividades físicas.

Confira mais dicas abaixo de como voltar ao pique total no pós-férias:

O que fazer para voltar retomar o rendimento do corpo

1. Não tente fazer dietas extremas

Muitos acham que “correr atrás do prejuízo” significa adotar dietas restritivas e triplicar os treinos, mas isso não é verdade!

Dietas que eliminam o consumo de diversos alimentos não nutrem e, dependendo do tipo e da duração, podem causar fraqueza e anemia.

Além disso, fazer jejum prolongado sem acompanhamento nutricional e/ou ficar somente de salada, peito de frango, sucos e sopas só vai piorar a compulsão e aumentar a ansiedade por alimentos mais calóricos.

Para a perda da massa gorda, a principal orientação é fracionar a alimentação ao longo dia, aumentar a ingestão de verduras, legumes e frutas, hidratar o corpo com muita água e consumir chás diuréticos como cavalinha, dente de leão e hibisco, ingredientes que ajudam o fígado na eliminação de toxinas.

2. O que comer na volta das férias

Antes do treino

É fundamental, meia hora antes do treino, ingerir carboidratos complexos (os “bons”). De preferência, em forma de frutas, já que elas também contêm antioxidantes que são bons para aumentar a energia e diminuir a produção de radicais livres.

Se o exercício tiver mais de 40 minutos de duração, é indicado comer a fruta acompanhada de aveia e oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas, amendoim…). Essa combinação vai ajudar na saciedade e na liberação de energia ao longo da atividade, sem deixar a pessoa sentir câimbras, fadiga e dores musculares.

Depois do treino

No pós-treino, é preciso investir nas proteínas (carne, frango, peixe, ovo, feijão, grão de bico…), carboidratos de absorção rápida (arroz, massa, batata, aipim…) e muitos antioxidantes (frutas vermelhas e cítricas, açafrão, aveia, linhaça…). Combinados, esses nutrientes garantem uma boa recuperação muscular.

3. O que NÃO comer 

Cuidado para não sabotar sua rotina saudável e voltar para a forma do período das férias! Um dos maiores vilões nessa fase são os doces.

Para diminuir essa vontade, a dica é se alimentar bem ao longo do dia, com refeições contendo carboidratos complexos, proteínas e gorduras boas.

Também é preciso evitar o jejum prolongado. Isso porque quanto maior for o tempo entre as refeições, maior vai ser a vontade por carboidratos refinados (doces, biscoitos, doces…).

Grant Hill e Steve Nash, ex-atletas de Basquete. Foto po Peter Read Miller \ Sport Illustrated

4. Reprogramar o organismo

Por fim, para aqueles que precisam perder os quilos extras adquiridos, a indicação é  reduzir a quantidade das porções de alimentos consumidos durante o dia.

O estômago é um músculo que, conforme é alimentado, se dilata. Para ele se acostumar com as novas porções, é necessário reduzir as quantidades gradativamente, assim ele se adapta novamente a comer pouco e diminui o seu tamanho.

Mente e corpo alinhados

A falta de ânimo é um outro grande sabotador na hora de iniciar o exercício. Para ser reativada, a memória muscular necessita de, pelo menos, dois meses de atividade física. Portanto, quanto mais se pratica exercício, maior vai ser a liberação de endorfina e mais fácil vai ser a readaptação.

Faça uma avaliação de percentual de gordura

O peso na balança não indica o quanto você tem de massa magra e massa gorda. O importante é fazer a avaliação do percentual de gordura junto a um especialista.

Dessa forma, é possível ter uma análise muito mais completa da composição corporal. E aí vai ser possível traçar um plano mais específico.

 

Nutricionista Orion Araújo: Nutricionista Clínica, Funcional e Esportiva, Orion é Mestre em Alimentação, Nutrição e Saúde pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Também é especialista em Nutrição Clínica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e nutricionista do Centro de Educação em Diabetes e Obesidade – Diabest.

 

Crédito foto de capa: Reuters

Como cuidar do corpo:

Como ser universitário e ter uma alimentação saudável?
A importância de se hidratar (mesmo nas férias!)
Alimentação pré e pós treino: como ela garante o seu rendimento