bife usp

Minha despedida do BIFE: parte 1

por • 27 de outubro de 2017 • Colaboradores, Colunas, EspecialComentários (0)381

Já foram dez BIFE USP vestindo a camisa da Física, em quadra, na torcida e na zueira. Começo minha despedida desse inter, mas não juro que é o último.

 

Por Thiago de Castro, Física USP

Ah! O BIFE …

Desde o ano 2008, meu segundo semestre tem um evento certo, o BIFE, seja pelo aspecto esportivo ou simplesmente para curtir as baladas.

E porque todo esse amor pelo torneio? É simples, todos os nossos atletas sabem que o esporte universitário é muito “solitário” em termos de torcida, pois durante o ano temos dezenas de jogos nos quais só há atletas nos ginásios. E jogar com a torcida dos nossos amigos e dos membros das nossas faculdades, nos deixa muito mais motivados, pois é o mais próximo que conseguimos chegar dos atletas profissionais.

E, quando o jogo termina, seja na vitória ou na derrota, o mais importante é começar a balada, seja nos botecos na cidade ou nos opens das torcidas. E esse mix de esporte e balada  foi o motivo que me fez chegar ao meu 10° BIFE.

Mesmo após ter me formado no Física em 2013, eu já sabia que ainda teria alguns BIFEs pela frente, pois iria começar minha 2ª graduação, no curso de geofísica. Entretanto, quando se completa dez BIFEs, a gente começa a ver a luz no fim do túnel (lágrimas).

Muito possivelmente, esse será meu último BIFE ou pode ser meu último BIFE parte 1, nunca se sabe o que pode acontecer ano que vem. Mas, se for o último BIFE, se for a última chance em que eu terei em representar a minha Atlética, se for último jogo que jogarei com meus amigos do Handbörh, quero que seja o melhor possível, tanto dentro quanto fora de quadra.

E se tudo der certo, ano que vem terá meu último BIFE – parte 2 … =)

Mais sobre o BIFE:

Rugby feminino da ECA é desclassificado do BIFE | Revista BEAT
Um mestrado para o próximo BIFE, será? | Revista BEAT

Posts Relacionados

Comentários fechados