jogos universitários

InterBauru 2017: tudo sobre o sorteio do chaveamento

por • 24 de julho de 2017 • Basquetebol, Cartola, Colunas, Futebol de campo, Futsal, Handebol, Individuais, Rugby, VôleiComentários (0)354

Faltam apenas quatro meses para o maior jogo universitário da América Latina e o sorteio das chaves já trouxe novas expectativas.

 

Por Matheus Souza | Atlética Unesp Bauru

No dia 25 de junho, aconteceu a reunião da LIEU (Liga Interuniversitária de Esportes Universitários) que definiu o chaveamento para o Inter Bauru 2017, que acontecerá entre os dias 2 e 5 de novembro desse ano.  Sendo um dos maiores jogos universitários do Brasil, a reunião contou com a participação dos membros das 23 atléticas que compõem a LIEU – tanto da primeira quanto da segunda divisão do campeonato e foi executada pelo presidente da Comissão de Esportes da Liga, Henrique Alcântara. O encontro foi realizado em Bauru e transmitido ao vivo na página do Facebook do Inter pela FAAC WebTv.

O sorteio é definido pela própria Liga durante as reuniões de regulamento e a partir das experiências obtidas nos anos anteriores. “Existe um padrão de organização do sorteio de chaveamento que vem sendo aplicado há três anos. As regras básicas são a divisão por igual de chapéus em ambas as divisões e os confrontos dos cabeças de chave na primeira divisão, sendo que eles devem sempre ocupar um espaço na chave onde seja possível que eles apenas se enfrentem a partir da semi final” comenta Henrique.

 

Você pode acessar todas as chaves através dos links abaixo:

 

Expectativas sobre os confrontos

Flávio Machado dos Santos, presidente da Atlética Unesp Bauru, acredita que o chaveamento foi favorável para Bauru nos jogos, “o chaveamento foi bom (para Bauru), evitamos alguns cruzamentos perigosos, mas mesmo assim vamos ter alguns duelos bem perigosos nas primeiras partidas. Mas chaveamento não ganha jogo e vamos precisar de uma grande dedicação dos nossos atletas” comenta Flávio.

Já Matheus Domingues Guinatti, membro da atlética da Unesp de Rio Claro, não acredita no fator sorte e acredita no trabalho em conjunto para se garantir nos jogos. “A Atlética de Rio Claro ficou bastante satisfeita com o chaveamento. Ele está bastante equilibrado e isso favorece as melhores equipes a chegarem até as finais, excluindo o fator sorte. Estamos bastante confiantes para chegarmos nas finais, pois nossas equipes e nossa atlética estão trabalhando bastante para sairmos de Bauru com o título de campeão geral. E claro que nossa torcida é um fator importante para essa caminhada até as finais”, afirma Matheus.

Já o diretor de relações externas da Atlética da Unesp de Presidente Prudente, Gabriel Arnas, atual vencedora do campeonato, apesar de confiante não sente que a cidade tenha sido muito favorecida pelo sorteio. “O sorteio do chaveamento não foi muito favorável para nós, mas temos sim a confiança de estar na maioria das finais… Vai ser um Inter muito difícil, mas estamos indo com tudo pra tentar defender nosso título”, afirma Gabriel.

FAAC WebTv: sorteio InterBauru 2017

 

Regras do chaveamento

O chaveamento foi definido por sorteio, em que na primeira divisão, os quatro vencedores de cada modalidade deveriam ficar em quadrantes diferentes nas chaves, se tornando os cabeças dessas chaves, a fim de não se enfrentarem até as semifinais. Por exemplo, no handebol masculino as equipes vencedoras no Inter Prudente 2016 foram Rio Claro, Rio Preto, Bauru e Presidente Prudente, nessa ordem. Como cabeças de chave, nenhuma dessas atléticas irá se enfrentar no handebol masculino antes das semis. Se uma dessas equipes, por sorteio, caísse na mesma chave em que outro vencedor caiu, ela seria trocada para a posição espelhada horizontalmente a essa e, se essa posição, por sua vez, já estiver ocupada, a atlética cabeça de chave irá para a posição espelhada na vertical. Essa regra é feita para aumentar a competitividade dentro dos jogos. Na segunda divisão essa regra não foi aplicada, portanto, os times ficaram na posição em que foram sorteados.

Outra regra aplicada ao sorteio, tanto na primeira quanto na segunda divisão, diferindo apenas nas quantidades, são os chapéus. As equipes que caem nos chapéus automáticos não jogam no primeiro dia, ou seja, não disputam as oitavas de final dessa modalidade, sendo classificadas direto para as quartas de final. Na primeira divisão, ficaram definidas um total de 51 posições de chapéu, nas quais 3 atléticas ocupariam 5 posições de chapéu e as outras 9 ocupariam 4 chapéus.

A única exceção na regra dos chapéus é a atlética de Assis, por conta de um erro na contagem da pontuação do atletismo nos jogos do ano passado. A pontuação dessa modalidade faria com que Assis caísse para a segunda divisão, e não Jaboticabal, como foi anunciado na classificação geral dos jogos. Por decisão da Liga, as duas atléticas permaneceriam na primeira divisão desse ano, mas Assis não poderia pegar nenhuma posição nos chapéus e, no fim do Inter 2017, duas atléticas irão subir para a primeira divisão e três cairão da primeira para a segunda.

Já na segunda divisão, foram definidas 96 posições de chapéus a serem divididas entre as 10 atléticas, nas quais 6 delas ficariam com 10 posições de chapéu e as 4 restantes, ficariam com 9 posições de chapéu. Da mesma forma que acontece com a primeira divisão, as equipes sorteadas para os chapéus da segunda divisão também vão diretamente para as quartas de final.

Posts Relacionados

Comentários fechados