Abra sua mente para se lesionar menos

por • 18 de abril de 2017 • Basquetebol, Colunas, Futebol de campo, Futsal, Handebol, Individuais, Rugby, Saúde & Alimentação, VôleiComentários (0)479

Você já parou para pensar no que pode te tirar do jogo?

Por Maria Cecília Martins

 

O texto deste mês veio para esclarecer o que devemos ter em mente para ter um ano tranquilo de treinos. Ou seja, para afastar qualquer tipo de surpresa desagradável que possa te tirar de jogo.

E a primeira coisa que precisamos entender é que as lesões não acontecem por acaso ou por um único motivo. São resultado de uma cadeia de fatores que se somam até superar a tolerância do corpo.

As lesões ocorrem segundo dois comportamentos básicos: no primeiro, há uma força de grande magnitude que incide sobre o tecido durante um curtíssimo período de tempo – como um choque ou uma pancada, por exemplo – e rompe sua estrutura (lesão traumática, aguda); no segundo, a intensidade das forças é menor, mas a atuação delas ocorre com tanta frequência que o corpo sucumbe (lesão por repetição, crônica). Logo, há duas formas de nos pouparmos do estresse físico: reduzir a magnitude ou a frequência das forças que agem sobre o nosso corpo.

A forma como evitamos as forças que atuam diretamente sobre o nosso corpo já foram discutidas nos textos anteriores: avaliação do gesto esportivo e das características particulares de cada um. Hoje, falaremos sobre o que pode influenciar indiretamente em nosso desempenho físico e culminar em lesões.

Costumo responsabilizar todos os membros de uma equipe esportiva pelo cuidado externo aos jogadores. Isso quer dizer que todos os presentes na beira da quadra têm o dever de detectar qualquer situação que possa colocar seus colegas em risco. Por exemplo, um banco deixado muito próximo à lateral do campo, um buraco na quadra, partes do piso levantando ou afundando, poças de água no caminho, jogadores com objetos cortantes e unhas compridas, colegas de time com cabelo solto (ou rabo de cavalo muito comprido, que pode prender em algum lugar), traves de gol estrategicamente abandonadas embaixo da cesta de basquete, arquibancadas muito próximas da linha de fundo, roupas inapropriadas. Enfim, a lista é enorme e só depende do nosso bom senso e atenção para ser traçada.

Pare para pensar como cada item desses pode causar um acidente. Por menor que seja o estrago, vai no mínimo tirar a concentração de alguém do seu time. Então é importante que você também esteja zelando por todos ali.

Porém outros fatores da sua rotina também podem ajudar a melhorar as condições para o esporte e burlar aquela lesão inesperada. Dormir bem (cerca de 7h por noite), ter uma dieta equilibrada (o que pode exigir que você prepare e traga algumas de suas refeições), hidratar-se (o tal dos 2 L de água por dia, fora o que perder nos treinos. Regra básica: não deixe para beber água quando já está com sede), seguir a planilha de treinos e descanso (sim, descansar é tão importante quanto treinar), ouvir o que os técnicos, médicos e fisioterapeutas estão dizendo, participar pró-ativamente da preparação física e do preventivo de sua equipe, buscar ajuda tão logo perceba que algo não vai bem (converse com seu treinador, ele poderá te orientar ou indicar quem possa ajudar).

Conclusão

Quem quer treinar bem e estar bem na hora do combate, precisa de planejamento prévio e disciplina. Sabemos que a vida de estudante e trabalhador nem sempre permite essa dedicação toda, mas faça o que está a seu alcance com empenho. Coloque na balança se realmente vale a pena ir para a festa antes do jogo, se você precisa treinar intensamente na semana de estudos madrugada a dentro por conta das provas, se deve jogar bêbado e mal alimentado ou se não precisa conversar para aliviar a cabeça e estar de corpo e alma com o time.

Mais uma vez, é só uma questão de bom senso e responsabilidade. Zele por você e pelos que te acompanham na batalha diária por uma medalha. Quando um se machuca, toda a equipe perde. Por isso mesmo, tome o cuidado do outro para si e não faça o que não gostaria que o outro fizesse com o time. Vai ser mais fácil se todos estiverem juntos por mais desempenho e menos lesões.

Posts Relacionados

Comentários fechados