[#memóriasdoBIFE] Um time é muito mais que seus títulos

por • 10 de outubro de 2016 • Basquetebol, Colunas, PerfilComentários (0)183

Por Guilherme Muralha

O que é um time? Dependendo de para quem você faz essa pergunta, as respostas podem ser bem diferentes. Por isso, eu lhes apresento o Basquete Masculino da Química e a minha história com ele.

Entrei em 2012 na faculdade, muito novo (só com 18 aninhos), mas eu já sabia o que queria: participar da Atlética e de um time da Química. Porém, foi só no segundo semestre que eu finalmente encontrei o meu lugar, no qual eu passaria toda a minha graduação e faria grandes amizades e grandes histórias que marcariam minha vida. E, como bom bixo que eu era, entrei sem saber jogar nada, ou quase nada (e para ser sincero ainda não sei muito), Mas sabia que uma coisa não me faltava, a vontade de ganhar.

Mas vontade não é tudo… Em 2012 fomos para o BIFE quebrados e não passamos do primeiro jogo contra a Física. Lembro de não ser um jogo bom, nem um jogo em que tivemos chances. Lembro que tinha um ou dois jogadores do famoso catadão. Enfim, muita tristeza em quadra, mesmo que ainda estivéssemos sempre unidos.

Um ano se passou e, na verdade, nada melhorou. Alguns atletas saíram do time e até para treinar tínhamos dificuldades. Jogávamos bem durante o ano, mas nem sequer uma vitória. No BIFE caímos de novo no primeiro jogo, dessa vez contra a FFLCH. E, nos mesmos moldes de 2012: jogo ruim, equipe formada por catadão, entretanto, uma vontade de dar o máximo possível em quadra.

Em 2014, as coisas mudaram, era a vez do basquete. Começamos o ano com um novo treinador e um auxiliar técnico, algo novo para nós. time cheio, treinos cheios, tudo embalava para um ano de louros. As amizades do time ficavam cada vez mais fortes, as jogadas ensaiadas saíam, todos pareciam em perfeita sincronia. Segundo semestre veio e, com ele, o BIFE. Em Araraquara, que cidade.

Dessa vez, eu estava em meu ápice, havia treinado muito para esse BIFE. Eu queria, eu precisava, não apenas por mim, mas por nós, pelo time. Nosso primeiro jogo foi contra o IME, eu não estava bem, tinha passado mal, não joguei bem, porém, sabia que podia contar com o resto da equipe. O jogo foi muito apertado, o time do IME não estava completa, o que nos dava mais esperança. Em uma partida truncada, deixamos eles abrirem uma grande vantagem no primeiro tempo. Foi quando um dos nossos melhores jogadores (Canhoto/Esquerdinha/Mito) desencantou, junto com ele ,o time inteiro, a torcida estava nos apoiando.

Ainda não conseguimos ganhar, perdemos por duas bolas. Foi triste, foi muito triste, mas, ao mesmo tempo, foi lindo. O BIFE foi a coroação de um ano magistral, um ano em que eu aprendi que para ganhar basta apenas ter um time. E respondo agora aquela pergunta que fiz no começo, o que é um time?

Para mim não ganhar nenhum jogo, sofrer para treinar, acreditar, tentar, sair com os amigos e viver junto é um time.
Para sempre seremos aquele time que perdeu do IME, mas para sempre seremos nós.

Posts Relacionados

Comentários fechados