As políticas da universidade: colapso da parceria LAAUSP-PRG

por • 14 de junho de 2016 • Campeonatos, Cartola, ColunasComentários (0)813

Por Clara Turazzi

 

O caos político na Universidade de São Paulo repercutiu também no âmbito dos esportes no primeiro semestre de 2016. Problemas financeiros e institucionais estão sendo discutidos no que diz respeito aos alunos e funcionários, com pautas já antigas como cotas, permanência estudantil, creches e, esse ano, o apoio e incentivo às práticas esportivas. Desde janeiro, a nova diretoria da LAAUSP tem como projeto o fomento ao esporte universitário, divulgando mais o BichUSP e a Copa USP, promovendo as seleções e retomando antigos campeonatos como o TUSP, o que se tornou mais viável por um suposto apoio da Pró-reitoria de Graduação (PRG).

Entretanto, os planos traçados pela Liga tiveram de ser adaptados, visto que mudanças inesperadas ocorreram nos últimos meses. Primeiro, houve a notícia da reforma dos módulos, de modo que os problemas de estrutura esportiva se tornaram ainda maiores, complicando a agenda dos campeonatos internos e o revezamento de treinos. Depois, dificultando ainda mais a organização anual da LAAUSP e das Atléticas uspianas, no dia 30 de maio, a parceria entre a LAAUSP e a Pró-reitoria foi sumariamente cortada. Ou seja, isso significa um déficit de 250mil reais e uma dívida de 80 mil no orçamento da LAAUSP, uma vez que foi essa a quantia oferecida para o auxílio na realização dos campeonatos organizados pela Liga. O acordo firmado no começo do ano pressupunha uma nova política financeira, com objetivo de diminuir as desespesas com campeonatos das atléticas da USP e, portanto, para que elas não precisassem mais realizar eventos festivos com venda de bebidas alcóolicas para adquirir verba.

A falta de apoio não se deu apenas no âmbito financeiro, uma vez que a comunicação entre as duas instituições foi abandonada por parte da PRG. Os campeonatos internos são oferecidos apenas para alunos USP, de maneira que a lista dos inscritos (neste ano 3474) tem de ser conferida com relação à filiação dos atletas à universidade. Como símbolo da parceria firmada este ano, a tarefa da conferência seria realizada pela PRG, o que aconteceu fora do prazo e, dessa forma, acarretou mais um trabalho inesperado para os colaboradores da LAAUSP.

A LAAUSP reconhece que o esporte não deve ser a prioridade dentro da universidade, mas que é importante para a formação, vivência e integração dentro do campus, sendo assim inadmissível o abandono da parceria institucional e a falta de respostas por parte da PRG. Ao mesmo tempo, essa situação reflete algumas das lutas políticas dentro da universidade, principalmente o diálogo e a transparência dentro da administração da USP.

Resposta à situação segundo a diretoria da LAAUSP:

“Firmamos no último conselho de presidentes, quinta passada, que as AAAs pagarão uma parcela extra da Copa USP para podermos fechar a Copa USP. Cerca de

R$ 40 mil entrarão através das AAAs. Cerca de R$ 280 por equipe.

Sobre a Liga USP, ela é incerta mesmo pela crise que a USP está. Financeiramente as AAAs financiariam a Liga USP, como sempre fizeram. Nossa atual situação financeira é por algo prometido e combinado que não foi cumprido. A parcela extra que as AAAs vão pagar na Copa USP igualará os valores depositados à ocorrência da Copa USP nos anos passados (cerca de R$ 550 a R$ 600 nas modalidades coletivas de quadra e R$ 650 no futebol de campo masculino). A Liga USP corre risco de não ocorrer pelo cenário de luta (http://www.jornaldocampus.usp.br/index.php/2016/05/mapa-da-greve-do-jornal-do-campus/).”

 

 

Crédito foto de capa: Por Beatriz Escalhão

Posts Relacionados

Comentários fechados