“Fala, professor!”: expectativas, análises e apostas para a Copa USP!

por • 15 de abril de 2016 • Basquetebol, Campeonatos, Colunas, Futebol de campo, Futsal, Handebol, Jogo a Jogo, VôleiComentários (0)1618

A Copa USP é campeonato anual realizado em todo primeiro semestre pela Liga Atlética Acadêmica da USP (LAAUSP). Ela é dividida, atualmente, em Série Azul (primeira divisão) e Série Laranja (segunda divisão). A cada ano, as disputas tornam-se mais acirradas, já que equipes não tão tradicionais se desenvolvem e buscam alternativas para derrubar os times já conhecidos como “grandes”. Atletas se formam, bixos e bixetes talentosas ingressam, técnicos mudam de equipes e o ciclo da reformulação dos times nunca para. Esse ano, o campeonato mal começou e muita gente já está levantando as apostas e bolões. Confira a seguir a análise de expectativas, de acordo com experientes técnicos de equipes da USP, para a edição de 2016.

 

Basquetebol: Reformulações pode definir a reta final – Por Icaro Ferrarini

Na Série Azul do Basquete masculino, os semifinalistas da Copa USP 2015 (EEFE, FEA, POLI e SANFRAN) perderam atletas importantes. Apesar das baixas, o BichUSP mostrou que chegaram bixos-atletas promissores e que podem suprir funções determinantes para as equipes. No geral, o equilíbrio entre as equipes se mantém, mas os finalistas devem sair entre EEFE, FEA e POLI. Meso assim, vale lembrar que temos a GEO correndo por fora e com chances no campeonato. Além das equipes tradicionais (que sempre disputam o caneco), equipes como MED e a bem treinada FÍSICA parecem ter chances de disputar uma vaguinha nas finais.

Já na Série Laranja, o equilibrio é certo e não permite qualquer tipo de aposta para um campeão. As equipes do Interior, LAURP e EEL (USP Lorena), vão estrear no campeonato com a promessa de que “o interior vai dominar a capital “. Além disso, IME e ECA voltam mais fortes, após um momento de reformulação,  FFLCH que mantém uma base há alguns anos também promete bons jogos. E, por fim, vale lembrar que a FARMA pode ser a surpresa do campeonato, já que tem evoluído bastante desde o começo do ano passado.

O basquete feminino da Série Azul não deve trazer surpresas, com FEA x POLI na final. Porém, o grupo da morte (POLI, EEFE, Física e IME) pode queimar a minha língua. A EEFE vem bem e crescendo muito ao longo desse ano. Além do veterano time da FÍSICA, que pode beliscar uma vaga nas finais. Já o restante das equipes (MED, FARMA, IME, ICBIO), que estão se reformulando ou são formadas por atletas novas, aparentemente, vão lutar mais para não cair.

Na Série Laranja, acredito que seja difícil o título não ficar com a FAU (campeã do Jogos da Liga de 2015), porém a equipe do interior LAURP e a ECA devem dar bastante trabalho. A SANFRAN, que também perdeu atletas importantes esse ano, deve chegar nas finais junto com LAURP e EACH. Como a maioria dessas equipes passou por muito reformulação e traz um novo elenco ao esporte uspiano, tudo pode acontecer e nenhum resultado vai surpreender.

 

Futebol de campo: O equilibro entre as equipes domina os campos da USP – Por Rui Ybarra

Em 2016, o futebol masculino, como quase todos os anos, será imprevisível. Mas, mesmo assim, claro que existem Atléticas favoritas e também aquelas que precisarão brigar bastante para conquistar tanto o título quanto uma vaga na Série Azul. A realidade é que o acesso a série que abriga as melhores equipes está absurdamente acirrada, devido à queda de fortes equipes em 2015. Sendo assim, o grupo A da Séria Laranja pode ser considerado o grupo da morte por conter o IME, equipe tradicional e sempre muito forte na modalidade, a FFLCH, equipe que foi melhor que a EEFE em seu grupo de 2015 porém perdeu pontos ao inscrever atletas de forma irregular, a FÍSICA e a ECA, duas equipes que sempre incomodam as principais equipes da USP e por fim EEL, equipe bastante imprevisível por não estar sempre presente no campus.

O grupo B conta com a FAU, recém rebaixada e sempre surpreendente, ICBIO e FARMA com um grande potencial e por fim a LAURP, outra equipe que deve surpreender com outro estilo de jogo do acostumado pelos estudantes de dentro da cidade universitária. O acesso a série azul promete ser bastante difícil e disputado, como não vemos há tempos. Já na série principal o panorama é um pouco diferente, a POLI começa a competição como principal favorita, uma vez que tem como característica uma ótima organização e esse ano conta com o auxílio de diversos calouros, os quais venceram o BichUSP da modalidade. No mesmo grupo estão a EEFE e a FEA, a primeira que vem para disputar o primeiro lugar no grupo e a segunda com a intenção de “morder” qualquer oportunidade que aparecer.

Já a Odonto não chega com grande anseios ao não ser de “zebrar” e não ser rebaixada com zero ponto. Do outro lado, temos um maior equilíbrio e assim maior imprevisibilidade. EACH, SANFRAN, MED e CAASO não são equipes acostumadas com a vitória dentro da competição, mas que claramente estão aptas a buscarem o caneco. Difícil de criar expectativas tanto a favor dos que passam para a fase final quanto para o time rebaixado.

No futebol feminino o cenário é diferente. Temos uma modalidade incipiente no contexto dos jogos internos uspianos e assim ainda com pouca sistematização, o que por si torna difícil criar expectativas. Acredito que a maior delas é de que o campeonato aconteça em sua melhor forma e possa contar com o maior número de atléticas e atletas possível para de vez alavancar a prática da modalidade pelo gênero.

 

Futsal: EEFE chega como favorita, mas não terá um caminho fácil – Por Christian Faccio

Para a Série Azul do futsal masculino, a EEFE é a grande favorita para ser campeã esse ano e no seu grupo a outra equipe com mais chances de se classificar é a SANFRAN, atual campeã do torneio. ECA e MED correm por fora. O outro grupo é bem mais equilibrado e acredito que as equipes vão roubar muitos pontos entre si. Entre EACH, POLI, FEA e FARMA, eu colocaria a FARMA, atual vice campeã, como favorita para se classificar.

Esse ano a Série Laranja do masculino está muito disputada, com 16 equipes participantes e equipes de tradição. As duas equipes que vieram da Série Azul do ano passado, IME e FFLCH,  são muito fortes e favoritas para voltar a série principal. As equipes do interior sempre chegam preparadas e costumam jogar de maneira diferente do futsal mais tradicional da USP. Espero bons jogos dessas equipes!

Assim como na Série Azul do masculino, a equipe da EEFE é a grande favorita para ser campeã esse ano no futsal feminino da Série Azul. No mesmo grupo (EEFE, ECA, MED e SANFRAN), as demais equipes se equivalem e é difícil apontar uma favorita para a classificação. Diria que a MED vem com mais chances pelo potencial individual das atletas. No outro grupo (POLI, FEA, EACH e CAASO), o equilíbrio é maior por não ter uma equipe num nível acima das demais. Muito difícil fazer previsões, mas apontaria a POLI e a FEA como favoritas para se classificarem.

Com um ótimo número de participantes, a Série Laranja do feminino tem tudo para ser bem disputada. Acredito que uma equipe está um nível acima das demais e é a grande favorita que é a ICBIO. A FAU também tem muita qualidade e tem tudo para conseguir o acesso. Abaixo dessas equipes mas com chances de conseguirem surpreender arriscaria aprontar as equipes do IME, FARMA e FFLCH. Sempre lembrando que as equipes do interior também tem muita força e podem chegar bem.

 

Handebol: Os favoritos serão superados em 2016? – Por Cristiane Mouro

Na Série Laranja, a disputa no feminino deve ser bastante acirrada pelas seis vagas nos playoffs. No grupo A (RI, IME, ICBIO, ENF e FOFITO), a briga será grande pela qualidade das equipes estarem bem equilibrada. O jogo entre IME e RI, consideradas favoritas do grupo, já aconteceu e terminou empatado abrindo ainda mais possibilidades de classificação para qualquer equipe do grupo que consiga bom aproveitamento de pontos.

No grupo B (EEL, ODONTO, LAURP e EACH) e C (VET, ECA, EDUCAÇÃO e FÍSICA), temos como favoritas por vagas nos playoffs as rebaixadas de 2015, EACH e ECA, além da FÍSICA no grupo C que conta com boas colocações nos últimos campeonatos disputados. E não podemos deixar passar possíveis surpresas no grupo B, graças a participação das equipes do interior, desconhecidas até então pelas equipes da capital.

Já na Série Azul a grande favorita é a equipe da MED que fez um jogo com muita superioridade em relação a FEA na Copa dos Campeões. Quem deve chegar para realmente fazer frente a Pinheiros são as Fauanas que na semi final do Jogos da Liga 2015 fizeram um ótimo jogo com as favoritas. A Série Azul feminina terá suas semifinais definidas nos últimos confrontos do grupo A, já que parece existir um maior equilíbrio das equipes dentro do grupo. O primeiro jogo terminou com empate –  POLI x SANFRAN – 8×8.

Na Série Azul, no naipe masculino as favoritas são EEFE e FEA,  além desses dois times os outros que chegam forte são MED, POLI e FFLCH, sendo que POLI e FFLCH devem brigar por uma vaga na semi em um jogo que promete ser um dos mais disputados e emocionantes do semestre. POLI conta com novos reforços e um excelente goleiro (muito conhecido), enquanto FFLCH tem um time com todos os tipos de jogador, dos novinhos que tem grande potencial aos velhos e experientes que jogam no universitário há muitos anos.

Na Série Laranja, CAASO e SANFRAN despontam como prováveis finalistas, mas não podemos esquecer o forte e entrosado time da FARMA, que conta com um bom reforço esse ano e também a LAURP que pode chegar incomodando as favoritas e deve garantir a vaga entre os 4 melhores.

 

Voleibol: “O interior vai dominar a capital” – Por Renan Tescarolo

Para o voleibol, o equilíbrio marca as Séries Laranja em ambos os naipes. No feminino, acreditava-se que a briga ficaria entre quatro equipes: as rebaixadas de 2015 ECA e FAU e as semifinalistas da última edição FFLCH e FARMA. Agora com a entrada de CAASO e EEL na competição, o cenário muda e as equipes do interior vêm com bastante força e favoritismo para a disputa da Copa USP. No masculino, cinco equipes devem brigar pelas primeiras posições: IME e EACH que foram rebaixados em 2015 e ICBIO e ECA que chegaram às semifinais entram fortes para a disputa. Por fora também aparece a SANFRAN que fez um ótimo segundo semestre em 2015 nos Jogos da Liga USP.

Para a Série Azul, a briga pelo título deve ser acirrada. No naipe feminino, a FEA, campeã dos dois campeonatos em 2015, é a grande favorita a levar o ouro novamente, mas MED, EEFE e POLI devem fazer frente às feanas e dificultar o bicampeonato. No masculino, a CAASO pode surpreender e levar o título no seu primeiro ano na série azul, mas FEA (campeão dos Jogos da Liga 2015) e EEFE (com elenco bastante reformulado) também acumulam favoritismo para ficar com a Copa.

Posts Relacionados

Comentários fechados