Democratização na FUPE

por • 17 de março de 2016 • EspecialComentários (1)468

Por Leonardo Milano

 

No último sábado, dia 12, ocorreu a primeira reunião do Congresso Técnico da Federação Universitária Paulista de Esportes, a FUPE. Até aí, nada de novo. Mas esse ano mudanças importantes foram discutidas. Na reunião do último sábado, foram debatidas uma série de propostas para democratizar os campeonatos organizados pela Federação. Entre elas está a equivalência de atletas federados e o fim da restrição de idade. Atléticas que historicamente se opõe a essas mudanças, dessa vez, sinalizaram apoio, como a Unip, UniSantAnna e UNIFAE. A segunda reunião está marcado para o próximo sábado, na qual as Atléticas filiadas irão bater o martelo, principalmente, em relação à transição que se dará após definidas as mudanças.

A FUPE organiza o Campeonato Paulista Universitário, que ocorre em duas séries: Diamante e Ouro. A Série Diamante classifica diretamente os times campeões para os Jogos Universitários Brasileiros (JUBs), torneio nacional, e a Ouro para a Liga do Desporto Universitário (LDU), também nacional, ambos organizados pela Confederação Brasileira de Desporto Universitário (CBDU).

Segundo o presidente da LAAUSP, Felipe Guimarães Marco, mais conhecido como Guima, houve uma enorme diminuição no número de Atléticas que se interessam pelos campeonatos organizados pela FUPE, o que justifica o fato de que, finalmente, algumas reformas estão sendo debatidas.

Todas as propostas de mudança têm como objetivo reestruturar exatamente esses torneios classificatórios, isto é, as séries Ouro e Diamante, para torná-los mais inclusivos e atraentes para as Atléticas.

O atual diretor de conferências da FUPE, Kallel Brandão, acredita que há “um avanço inegável na interlocução entre a Federação e suas entidades filiadas”, resultando num processo de democratização da entidade.

Entenda melhor o que cada proposta significa:

 

Equivalência de atletas federados

Algumas faculdades privadas, como a Unip, a UniSantAnna e a UNIFAE, oferecem bolsas para atletas federados competirem por suas Atléticas. Segundo as palavras do presidente da LAAUSP, isso cria dois grupos de competidores, os “universitários atletas e os atletas universitários”. Outras Atléticas, como as da USP, não contam, em sua maioria, com um grande número de atletas federados e por isso, tem de fato que desenvolver um processo de formação de atletas universitários, ao invés de dar uma bolsa para atletas federados.

Até esse ano, na Série Diamante não havia equivalência de atletas federados, isto é, um time com cinco atletas federados, por exemplo, poderia enfrentar um time sem nenhum, o que tornava o campeonato injusto e desfavorável para muitas Atléticas, entra elas, principalmente as da USP. Agora, a Unip, UniSantAnna e UNIFAE sinalizaram que irão aceitar a equivalência. Essa mudança irá atrair novamente Atléticas cujos times não possuem atletas federados. inclusive, as Seleções USP.

 

Restrição de idade

Segundo o regulamento da Série Diamante, apenas dois atletas com mais de 24 anos podem participar do torneio. Isso representa, mais uma vez, uma desvantagem para as Atléticas e Universidades que não “contratam” atletas através de bolsas. No caso da USP, por exemplo, no qual os atletas de fato são universitários, demora-se anos para que um atleta se desenvolva ao nível de competir com atletas federados. As Seleções USP estão repletas de atletas com mais de 24 anos, que já estão em sua segunda graduação, por exemplo. Por isso, a proposta, apoiada pela LAAUSP, de pôr fim a essa restrição de idade e que já foi acatada pela maioria das entidades que participaram da primeira reunião.

Classificatórios

Para 2016, a FUPE propôs uma reformulação que já incluía o fim dos critérios de idade e a equiparação de atletas federados. A proposta fundiria as séries Ouro e Diamante, classificando o campeão da série Ouro para o JUBs do ano seguinte e o vice campeão para a LDU, também do ano seguinte. Entretanto segundo Brandão, “em discussão conjunta, optou-se por manter a Série Ouro como seletiva para a LDU, considerando-se uma nova formatação para a série Diamante, focando em um formato mais rápido de competição, mudando os critérios de idade e liberação de federados”.

Guima afirma que esse formato prejudicaria os times, já que muitos atletas que participariam dos classificatórios poderiam não ter mais a oportunidade de disputar a LDU e o JUBs.

Brandão afirma ser impossível disputar todos os campeonatos, em sequência, na mesma temporada, por falta de datas disponíveis.

Dessa forma, assim como era até o ano passado, a Série Ouro continuará a classificar para a LDU, do ano seguinte, enquanto a Diamante classificará para o Jubs, do mesmo ano.

 

A transição

O diretor de conferências da FUPE comemora “o fato de que muitas entidades, como UNIP, UniSantAnna e UNIFAE, mesmo cientes de que a proposta de alteração poderia ir contra seus interesses, optaram por defender as mudanças e fortalecer a competição”. No entanto, “foi unânime a decisão pelo fim da barreira para atletas acima de 24 anos, e discute-se, agora, como se dará a participação dos atletas federados, e essa será a pauta da próxima reunião que será realizada no dia 20 de março”, completa Brandão.

Algumas mudanças serão implementadas já esse ano, como a possibilidade de os times disputarem ambas as séries e a suspensão do limite de idade na Série Diamante. Outras, como a equivalência de atletas federados ainda será discutida, mas muito provavelmente serão implementadas no ano que vem.

Outras novidades

Por fim, há outras mudanças que estão sendo discutidas. Uma delas é a alteração na data do Congresso da FUPE que acontece todo início de ano. A propostas é adiantá-lo para o final do ano anterior aos campeonatos cujos regulamentos serão discutidos. Dessa forma, as Atléticas teriam mais tempo para se planejar após a definição dos regulamentos.

Todas essas propostas de reestruturação ainda serão discutidos na próxima reunião, mas, ao que tudo indica, mudanças importantes vêm por aí. Semana que vem publicaremos mais uma matéria contando o que foi decidido.

 

 

Crédito foto de capa: Paulo Anshowinhas / FUPE

Posts Relacionados

One Response to Democratização na FUPE