Estratégias para cativar os bixos: o que as atléticas têm planejado para 2016?

por • 4 de fevereiro de 2016 • CartolaComentários (0)1130

Por Karen Dorta

 

Nesse começo de ano, as pessoas costumam se preocupar com algumas coisas. Quanto tempo ainda me resta de férias? Pra onde devo ir nesse carnaval? Bloquinhos em São Paulo? Ubachuva? Rio de Janeiro? Difícil decidir. Para muita gente, é só isso que se passa pela cabeça mesmo. Mas, existe uma galera que considera essa época essencial para o sucesso do resto do ano: os membros das Atléticas e os atletas das modalidades. Com a chegada da matrícula, as dúvidas deles são “quantas meninas entrarão esse ano pra jogar hand? Será que entra atleta federado? Quem será que re-ingressa e volta a jogar?”. Essas pessoas estão quebrando a cabeça para desenvolver estratégias para atrair os bixos para o esporte universitário.

A maioria das modalidades é fortalecida a cada ano com a chegada dos calouros, porém, essa renovação nem sempre é fácil. Alguns novatos já entram com o pensamento de jogar e procuram de forma independente a atlética ou a modalidade desejada. Entretanto, grande parte dos bixos é conquistada na matrícula ou durante a semana de recepção graças à insistência de atleticanos e atletas veteranos.


Leia também: A história dos mascotes das Atléticas


A gestão da Atlética da FEA, por exemplo, se reune em uma viagem de planejamento para formular as estratégias do ano. Nessa viagem, eles aproveitam para entrar em contato com todos os aprovados na primeira chamada pelas redes sociais. Segundo Júlia Batista, vice presidente da AAA Visconde de Cairu, eles também testam as provas da gincana realizada durante a primeira semana dos bixos. Júlia também conta que, este ano, a FEA terá um dia especial chamado “Dia da Atlética – APERTA O PLAY”: De acordo com ela, “esse evento consiste em um encontro no CEPE USP com pais, calouros, veteranos, técnicos e os times, para um tour pelo local e diversas atividades com profissionais do ramo esportivo (…) Haverá uma equipe de personal trainers e um lanche depois das atividades.”

A iniciativa de levar os bixos para o ambiente dos atletas parece ser o denominador comum de todas as gestões. Vinicius Chaim, Diretor Geral de Esportes (DGE) da AAA EACH, revela que também realizarão atividades esportivas com os bixos: “Na semana de recepção, os Diretores de Modalidade (DMs) promoverão bate-bolas com os bixos em uma tarde, de forma que todas as modalidades de quadra sejam jogadas nessa tarde”. Chaim ainda acrescenta que, pela falta de estrutura adequada na EACH, as modalidades individuais como natação e atletismo ficarão sem atividades. No dia da matrícula, ele conta, “os bixos terão um ponto de cadastro de passagem obrigatória, onde preencherão um formulário que facilitará o contato com os bixos. Os dados deste formulário serão enviados para cada DM, que ficará responsável por criar grupos nas redes sociais e Whats App, e preparar as equipes para o BichUSP.” Como entram mais de mil alunos por ano, alguns treinos ficam muito cheios nesse começo, portanto, as modalidades também deverão organizar treinos exclusivos para os Bixos, ao menos uma vez por semana, e integrá-los aos treinos com a equipe, antes mesmo de acabar o BichUSP. Por fim, Chaim acrescenta que serão produzidos cartazes com horários das modalidades para serem colocados na entrada do bandejão, na tentativa de “não perder ninguém”.

Nutrição USP

Equipe de Handebol Feminino da Nutrição no BichUSP 2014

Na Faculdade de Saúde Pública – FSP USP, também há uma programação voltada para os esportes. Em uma tarde da semana de recepção, os bixos participam de jogos integrativos junto com os veteranos. Tais jogos somam pontos para a gincana desenvolvida neste período. Diferente da EACH, na Faculdade de Saúde Pública, ingressam apenas 120 alunos por ano na graduação, sendo que 80% deste número é do sexo feminino. Ainda assim, existe uma grande necessidade de atletas nas modalidades femininas. Anna Ginters, DGE da FSP, conta que existe uma escassez de atletas na sua faculdade e que todo ano o grande desafio tem sido identificar o motivo, para, enfim,  mudar esse quadro. Ela ainda destaca que a participação no BichUSP é o grande motivador, uma vez que a competição é exclusiva para os bixos, de modo que há uma valorização da experiência do aluno ingressante, aumentando a chance da permanência no esporte. Segundo Anna, a FSP ainda apresenta algumas particularidades que dificultam o fortalecimento esportivo das modalidades. Muitos alunos, por exemplo, entram nos times, mas permanecem por pouco tempo, devido à priorização de estágios ou atividades acadêmicas. Um dos fatores que favorecem essa evasão é a dificuldade para conciliar os horários de treinos. O curso de nutrição tem suas aulas no período matutino e noturno, já o curso de Saúde Pública é vespertino, tornando praticamente impossível conciliar um horário ideal que contemple todos os cursos.

Agora que vocês já conhecem algumas das estratégias usadas pelas atléticas e todo o trabalho realizado, se tiver energia pode arregaçar as mangas e colaborar: tem trabalho pra todo mundo. E pra você, que sempre assistiu de longe o esporte acontecendo, que tal começar esse ano e ser o reforço que a sua atlética precisa?

 

 

Crédito foto de capa: Luisa Zucchi

Posts Relacionados

Comentários fechados