Alimentação pré e pós treino: como ela garante o seu rendimento

por • 31 de maio de 2015 • Saúde & AlimentaçãoComentários (0)1946

Por Nelson Niero Neto | Jornalismo Júnior

 

Você se alimenta adequadamente antes de praticar esportes? E depois, repõe as energias que o seu organismo perdeu? Para quem busca um bom rendimento, esse é um aspecto importante com o qual se preocupar.

Existe a consciência, até pelo senso comum, da importância de estar bem alimentado para praticar esportes, pois, assim, o corpo tem condições de aguentar o esforço físico que é feito. Sabe-se também que, após o treino, é essencial repor as energias que gastamos. Porém, muitos atletas, com a correria do dia-a-dia, vão para seus treinos de jejum ou mal alimentados. Isso é um grande problema, tanto – obviamente – para a parte física do corpo, como para a parte mental.

Para entender melhor o que acontece em nosso organismo quando estamos nos exercitando, a Revista Beat conversou com as nutricionistas Fernanda Marquezini e Tainá Carvalho.

Fernanda orienta atletas no seu dia-a-dia e colabora com o blog Projeto Alimente. Ela alerta para os riscos de se exercitar sem uma alimentação adequada. “Se alimentar antes dos treinos é importante para evitar picos de hipoglicemia (baixa de açúcar no sangue), situação que pode causar tontura e até desmaios”, conta ela. “Além de evitar o estado de catabolismo muscular, que é a quebra de aminoácidos no músculo para usá-los como combustível, o que leva à queima de massa magra”, completa.

Tainá é especialista em nutrição esportiva e reitera a importância da alimentação pré treino. “Ela garante o fornecimento de energia necessária para a sessão de exercícios físicos”, explica, “e isso é essencial para garantir um bom desempenho”. Ela acrescenta, ainda, que a energia utilizada pelo organismo durante o esforço físico é oriunda da glicose consumida antes do treino.

saude2

Fonte: Midia Sport

Depois dos exercícios, o cuidado com o organismo deve continuar. “Após o treino, o corpo está exausto e precisa regenerar os músculos do desgaste sofrido”, conta Fernanda. “Por isso é tão importante a reposição de líquidos nesse momento. Isso ajuda na recuperação muscular, pois repõe os estoques de glicogênio dos músculos”.

Esse momento da recuperação muscular é muito importante para alcançar os resultados desejados pelo atleta. Tainá explica o porquê: “nas primeiras horas após o exercício, nosso organismo procura maximizar a captação de nutrientes para os músculos. É um momento de grande absorção e armazenamento de energia”, conta ela.

Além de influir na parte física do organismo, a alimentação também determina o rendimento mental do atleta: sua concentração, atenção e foco no momento do exercício físico. Estar em jejum acarreta no estado de hipoglicemia, situação em que a quantidade de glicose no corpo é menor do que a ideal. Se exercitar sem estar bem alimentado compromete o rendimento mental, pois a glicose é uma espécie de “combustível” para o cérebro. Mais que isso, estar em jejum pode reduzir a liberação de neurotransmissores como a adrenalina e a noradrenalina, que proporcionam uma sensação de bem estar e prazer.

Mas mesmo com a consciência de que é importante não praticar esportes em jejum, também é preciso saber o que comer. Existem alguns alimentos específicos para consumo antes e depois de praticar seu esporte favorito. Você sabe quais são eles?

Antes do treino, procure incluir no seu cardápio alimentos ricos em carboidratos como, por exemplo, arroz, cereais, pães, biscoitos e frutas. Eles são os nutrientes responsáveis pelo fornecimento de energia. Até uma hora e meia antes de se exercitar, as proteínas são bem vindas, pois elas ajudam na recuperação dos músculos. Carnes, ovos e queijos, por exemplo, são alimentos ricos nesse nutriente. Mas caso o horário do treino esteja próximo (uma hora ou menos), fique apenas com os carboidratos. As proteínas são digeridas lentamente e podem atrapalhar o rendimento do atleta.

saude

Fonte: Flickr

Depois de treinar, a receita segue a mesma: coma alimentos ricos em carboidratos, responsáveis pela reposição de glicogênio na musculatura, e proteínas, que vão reconstruir e reparar as microlesões musculares que ocorrem normalmente após os exercícios físicos.

Para os que buscam aliar a prática do esporte à uma vida mais saudável, é imprescindível se preocupar com uma alimentação balanceada e nutritiva, que possa suprir as demandas do organismo durante as atividades físicas. “Um atleta bem alimentado se sente mais disposto e tem mais chances de apresentar um bom desempenho”, ressalta Fernanda.

 

 

Texto produzido por:
Logo Jota ad

Posts Relacionados

Comentários fechados