As corridas no mundo universitário

por • 24 de outubro de 2014 • IndividuaisComentários (0)868

Júlia Moura e Paula Thiemy | Jornalismo Júnior

 

Há alguns anos, a corrida se tornou uma febre, nas esteiras ou nas ruas. Não é para menos, já que os benefícios de sua prática vão além de um corpo definido. O exercício melhora o sono, diminui taxas de colesterol e glicose no sangue, previne doenças, aumenta a resistência e melhora o raciocínio por conta da concentração necessária na realização de exercícios físicos. Correr a céu aberto, seja em ruas e avenidas movimentadas ou parques, está ficando mais comum. O contato com novas paisagens e pessoas torna a corrida de rua um excelente hobby.

A turbulência do dia a dia faz da corrida o esporte ideal. Antes ou depois do trabalho a atividade está feita. Não é preciso um alto investimento em equipamento e nem se deslocar até alguma academia ou parque. Tênis, camiseta, bermuda no banco de trás do carro. Esse fenômeno também chegou ao mundo universitário. Grandes empresas do ramo esportivo recrutaram estudantes para, além de participar da equipe de corrida, serem garotos propaganda. Foi o que aconteceu com Clarissa Brito, estudante de Jornalismo da Escola de Comunicações e Artes (ECA/USP). Depois de bons resultados em competições de atletismo pela Universidade, ela foi escolhida para projetos da Nike.

Para Clarissa, um bom incentivo para começar a correr é ter alguém próximo ou um ícone como exemplo . A atleta, apesar dos bons resultados, não se enxerga como uma profissional do ramo. “Minha entrada no mundo das corridas foi algo que aconteceu naturalmente, mas não me vejo como alguém do circuito profissional. Acredito que estou entre os corredores amadores, mas em um nível de preparo melhor”, conta. Esse bom preparo físico veio da época de natação profissional. E é exatamente por esse motivo que as empresas foram atrás dos estudantes das universidades.

No meio universitário, a prática de esportes é constante, já que muitos dos atletas praticam mais de uma atividade e o preparo físico para uma acaba auxiliando outra. As empresas perceberam que esses estudantes poderiam ser um bom investimento, afinal, já estão envolvidos com esportes e possuem um bom preparo. Clarissa, além de ter participado da natação profissional, jogou handebol, basquete e fez musculação. A USP, em especial, é um ambiente propício para prática esportiva, devido ao Centro de Práticas Esportivas (CEPEUSP) que atende não só alunos, como funcionários e moradores da zona oeste. Além do CEPE, a Cidade Universitária é ideal  para a corrida de rua, devido a sua vasta extensão, arborização e pouco fluxo de carros.

 

Assessorias Esportivas

O campus Butantã da USP está sempre lotado de esportistas, especialmente nos fins de semana. Muitos deles procuram as Assessorias Esportivas para um maior suporte na prática. Essas entidades funcionam como um clube, disponibilizando treinadores em diversos horários e locais, bem como mantimentos e transporte das equipes para competições. São bem comuns em parques e no campus da USP. Com o sucesso desse empreendedorismo, grandes marcas esportivas se interessaram no projeto. A Nike patrocinou a Run&Fun, a maior assessoria do Brasil, visando a divulgação de seus lançamentos. A marca disponibilizava material para os clientes da assessoria, como tênis e camisetas. A parceria durou até o começo de 2014, quando a empresa fechou contrato com a Mizuno.

Bruno Keny, estudante da Escola de Educação Física e Esporte (EEFE/USP), trabalhou  na Assessoria Esportiva 4any1, amparada também pela Nike. Ele conta que, através do emprego, conseguiu participar da Corrida de Revezamento São Paulo-Rio de Janeiro. Por conta do evento, Bruno e sua equipe receberam produtos da Nike como premiação.

Além das assessorias, as grandes empresas procuram membros das atléticas universitárias para divulgar seus produtos. Os alunos são contatados para montar equipes e participar de provas específicas em troca de pares de tênis e relógios. Segundo Daniela Bernardi, ex-presidente da ECAtlética, tais marcas buscam nos univeritários maior visibilidade na divulgação. A Nike a chamou para comandar a busca por capitãs que formassem equipes de atletismo entre alunos da USP, para competirem usando os produtos da marca.

corrida  A Adidas, no entanto, revolucionou ao criar uma nova forma de relacionar marcas esportivas e corredores. Se trata das RunBases, instaladas primeiramente em Tóquio, no ano de 2010, e que chegaram à São Paulo, próximo ao P1 da USP. Elas funcionam como um quartel general para os corredores se prepararem para o treino e o finalizarem. Nela você pode estacionar seu carro ou bicicleta, guardar seus pertences, se trocar, tomar banho e usufruir de produtos de higiene, toalhas, suprimentos, material esportivo da marca e até testar sua pisada, tudo gratuitamente. Para isto, basta se cadastrar no site (https://adidasrunbase.com.br/). A estratégia é um meio inovador de divulgação dos produtos da marca. Durante o seu treino, você experimenta um modelo de tênis e relata a sua experiência para os funcionários. Assim a empresa, além de fazer propaganda, recebe um feedback dos seus lançamentos.

Silvio Augusto, que está terminando o curso de publicidade na ECA,  tem frequentado semanalmente a base e conta que os profissionais do local, estagiários de educação física, acompanham os usuários na corrida. Eles os dividem em grupos segundo a condição física, dessa forma, inciciantes e corredores experiêntes têm treinos diferentes. Mas, se preferir, é possível treinar a sua maneira. “Em algumas vezes eu sugeri o que queria fazer. Em outras eles – profissionais – sugeriram o trajeto e treino”. A RunBase brasileira funciona de quinta à sábado na Rua Alvarenga, 1777, Butantã.

 

 

 

Crédito foto de capa: Divulgação / suaCorrida

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *